O desafio de viver em rede, segundo pesquisador da Casa de Rui Barbosa

Não é nada fácil viver em rede – seja ela online ou offline, mas isso é fundamental. Exercer essas atividades é um grande desafio para indivíduos ou empresas, já que essas ações consistem em dar, receber e retribuir. Essa e outras questões são abordadas pelo pesquisador da Fundação Casa de Rui Barbosa Júlio Aurélio Vianna Lopes no livro “Viver em rede: as formas emergentes da dádiva”, que será lançado nesta quinta-feira, no Rio.

Eu conversei com o cientista político, que descreve – no livro – os tipos de relações humanas que existem nas redes sociais e ressalta os perigos, os potenciais, além dos cuidados, regras ou ética, encontrados nelas. O pesquisador estudou experiências de uma década na internet, em países dos hemisférios Norte e Sul, com formas alternativas à vida moderna sob os aspectos da política, da sociedade e da economia.

Júlio Aurélio faz uma análise das redes sociais do ponto de vista da Teoria da Dádiva – de Marcel Mauss (morto em 1950) – que prega a troca de informações, sentimentos, votos etc.

É uma teoria social diferente das teorias clássicas de Durkheim, Marx e Weber porque analisa a sociedade e seus acontecimentos como trocas entre bens doados recebidos e/ou retribuídos pelos seres humanos. Neste sentido, sua aplicação às redes sociais, em geral, permite compreendê-las como exercício de dádivas e, portanto, fornecer uma ética a estas novas relações humanas explicou o autor.

A ética da dádiva é composta por dois mandamentos:

1) Toda doação recebida deve ser retribuída.

2) Toda retribuição deve ser considerada como uma nova doação. Assim, a construção, reprodução e ampliação de toda rede social depende delas seguirem ambos estes mandamentos éticos.

O pesquisador destacou a importância das redes sociais na vida das pessoas e das empresas, de uma forma geral:

A rede pode parecer, à primeira vista, ameaçadora, porque, por exemplo, a empresa tem um negócio, uma especialização, e sempre vão aparecer consumidores de outros produtos, que a empresa não oferece. Então, o que parece um problema é, na verdade, uma solução, a meu ver. Estando em rede, a empresa consegue antecipar tendências. Isso é fundamental para o planejamento estratégico dela. O empreendedor tem essa questão. Se o produto não tem mais saída, o que que acontece? Ele tem um custo enorme para mudar, e isso se torna mais claro, porque, na rede, a empresa tem um ambiente, através do qual ela vai conseguir constatar as novidades afirma.

Durante o bate-papo, o cientista político citou dois pontos cruciais que podem ajudar no desafio de estar em rede e divulgar sua criatividade:

 

1 – Marcar presença nas redes

Para o sociólogo, as mídias sociais – por si só – já são especializadas em suportes de redes. E o que se troca nelas não necessariamente é um produto, mas sim informações, imagens e novidades. Com isso, as pessoas e, principalmente as empresas que estão fora da rede estão perdendo a chance de captar novidades e trocar experiências.

 

2 – Atenção às tendências

É necessário estar atento ao novo para fazer a diferença nas redes.  De acordo com Júlio Aurélio, as redes sociais criam novas relações sociais emergentes e embrionárias de uma nova e diversa sociedade, onde convivem o real e o virtual. Portanto, ficar de olho no que está acontecendo no mundo online e também no offline, é fundamental para se manter atualizado e buscar soluções criativas para ter um diferencial e se destacar na internet.

 

Analistas da internet – a rede mundial de computadores – têm enfatizado que o caráter relacional sobrepuja o instrumental, predominante na primeira geração da web, e atribuído aos seus membros uma criatividade colaborativa que excede o potencial digital, ainda que as tecnologias de informação sejam fatores relevantes.

 

Para explicar essas e outras questões do livro, Júlio Aurélio Vianna Lopes fará palestra e debate antes do lançamento oficial do livro, nesta quinta-feira, às 18h, na Fundação Casa de Rui Barbosa. O endereço é Rua São Clemente, 134, em Botafogo, na Zona Sul do Rio. Não perca o encontro e aproveite para compartilhar esse post nas suas redes sociais.

 

 

Sobre a autora:

Daniela de Paula    Daniela de Paula é jornalista, social media e especialista em Marketing de Conteúdo, apaixonada pela natureza, por bichos,decoração e tudo que envolve a filosofia do “faça você mesmo”.
Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *